3 comentários:
De Luís Vilela a 2 de Outubro de 2008 às 00:28
Saúdo a referência ao tema. Que é relevante. Mais ainda no contexto da desvalorização, mais ampla, do papel dos exames em várias áreas do saber. É fundamental que regressem os exames nacionais que marcam o final dos ciclos e a conclusão das disciplinas terminais dos diferentes percursos curriculares. E a Filosofia não seria diferente, já que teria exame nacional no final do 11º ano. Dessa forma pode compreender-se melhor o trabalho de alunos e professores, cumprem-se programas, estabelecem-se melhores níveis de exigência e, claro, valoriza-se um conjunto de competências e conhecimentos relevantes.
Mas o sentido das medidas da actual equipa (e anteriores também) ministerial é oposto.
Pagaremos caro por isso, estou certo. Até lá...

Faz falta - muita falta - que se faça uma discussão séria e assumidamente política sobre um sector tão vital como é o da Educação e Formação. Que a vossa iniciativa possa ser um contributo, seria muito positivo.
Veremos.
Saudações,
Luís Vilela.


De Maria Martins a 2 de Outubro de 2008 às 18:11
O governo do não pensamento, da não reflexão, do não planeamento, da não concepção, da incapacidade de relacionar, articular. O governo da ganância cega de resultados, do empirismo primário e sôfrego. O Governo com uma tal falta de grandeza moral, intelectual e humana só pode odiar a Filosofia


De mendo henriques a 2 de Outubro de 2008 às 19:40
Parabéns pelo recordatório. E vergonha de um Ministério e de um Governo que acaba ataca a Filosofia quando a UNESCO proclama o Dia Mundial da Filosofia desde 15 de Novembro de 2002.
Está em marcha a organização de uma petição para repor os exames de Filosofia como primeiro passo para valorizar a área.


Comentar post