3 comentários:
De Ana a 2 de Outubro de 2008 às 01:16
O ensino deixou de se centrar nos alunos para se centrar nos professores e nas grelhas. Infelizmente, a maioria dos portugueses não tem conhecimento do número de árvores que são abatidas por cada professor a leccionar. São reuniões e reuniões para discutir um processo de avaliação que não faz qualquer sentido. São resmas e resmas de papel inutilizadas graças ao "choque tecnológico" que o nosso Primeiro tanto defende. Nos intervalos já não se fala sobre alunos! São as grelhas, o POI ou o PIDP....
E o circo está montado! Nós, os professores, uns autênticos "palhaços" de um sistema de ensino cada vez mais condenado ao fracasso, já estamos a magicar a fórmula 100% eficaz de ajudar o nosso governo, a poder anunciar a todos os cidadãos o sucesso escolar de todos os alunos e alunas que frequentam o ensino em Portugal! E como conseguimos alcançar os tão desejados 100% de sucesso escolar, podem questionar alguns portugueses mais ingénuos. Facílimo! A existência de Professores Titulares e a avaliação dos professores resolveu tudo! Finalmente podemos anunciar ao mundo que a qualificação dos portugueses atingiu níveis superiores aos obtidos nos países da OCDE! Pura ficção! Estamos a formar/deformar jovens do mais baixo nível!!! Acreditem! Tenho alunos moldavos que vivem em Portugal há apenas 1 ano e que conseguem evidenciar mais competências (inclusive a nível da língua portuguesa) do que todos os alunos da turma. É preocupante! É mesmo muito preocupante! Já não é a geração rasca ! É mesmo ....mas mesmo....muito rasca. E os culpados??? Todos os cidadãos de um país à beira do abismo, mergulhado numa crise a todos os níveis, por culpa do "desgoverno" deste país!


De olho de água a 15 de Julho de 2009 às 02:16
O Primeiro-Ministro, José Sócrates, anunciou que, no próximo ano lectivo, haverá uma oferta de 125 mil vagas para alunos de cursos de ensino profissional" http://www.governo.gov.pt/pt/GC17/Noticias/Pages/20090714_PM_Not_CursosProfissionais.aspx

Lembro v/ Exa. que sem os psicólogos dos Serviços de Psicologia e Orientação (SPO's criados com o Decreto-Lei 190/91) não haveria Orientação vocacional dos alunos para estes cursos profissionais. Aliás foi uma psicóloga que contribuiu para a construção do Kit das profissões, meio de informação escolar e profissional usado pelos psicólogos nas suas actividade de orientação escolar e profissional.

Consequentemente, esperamos que o Governo retire as correspondentes ilações em matéria de avaliação de desempenho deste pessoal não-docente. Isto é, que esta avaliação positiva das Escolas (Siadap 2) se repercuta em cascata no Siadap 3 dos psicólogos dos SPO's. Mas suponho que o que irá suceder é o reposicionamento salarial dos "boys queridos" contratados.



De Parabéns também aos psicólogos a 15 de Julho de 2009 às 13:08
Lembro que sem os psicólogos dos Serviços de Psicologia e Orientação (SPO's criados com o Decreto-Lei 190/91) não haveria Orientação vocacional dos alunos para estes cursos profissionais. Aliás foi uma psicóloga que contribuiu para a construção do Kit das profissões, meio de informação escolar e profissional usado pelos psicólogos nas suas actividade de orientação escolar e profissional.

Consequentemente, esperamos que o Governo retire as correspondentes ilações em matéria de avaliação de desempenho deste pessoal não-docente. Isto é, que esta avaliação positiva das Escolas (Siadap 2) se repercuta em cascata no Siadap 3 dos psicólogos dos SPO's. Mas suponho que o que irá suceder é o reposicionamento salarial dos "boys queridos" contratados, enquanto que os psicólogos com mais de 20 anos de carreira nas Escolas vão continuar na categoria de 1ª classe, quando já deveria ter-lhes sido permitido concorrer a assessores!


Comentar post